Olá MAGAFONE   Click to listen highlighted text! Olá MAGAFONE
  • Please insert widget into sidebar Customize Righ Home 2 in Appearance > Widgets
Mónica Nascimento,
Assessora de comunicação

Nunca gostei de escrever a minha opinião, sobre nada, mas discutir tudo sempre foi a minha forma de vida. Em conversas apaixonadas e muitas vezes até demasiado alteradas, lá vou debitando a minha perspectiva que considero sempre importantíssima, mesmo que seja um ponto de vista gasto. Até perceber que, um, a minha opinião sobre a maioria dos assuntos é desinformada e, dois, já ninguém quer de facto entender a ideia do outro. Nas redes, utilizando a linha do videoárbitro para engavetar os que conhecemos e as figuras públicas, vamos estando atentos às posições sobre determinado assunto para avaliar quem escutamos, os que concordam connosco, e quem decidimos logo que “é só parvo”, independentemente do investimento que determinada pessoa possa ter feito para alicerçar a sua opinião em factos, em conhecimento, em reflexão. Antes que desistam, deixem-me só resumir o objectivo destas linhas: Não estamos obrigados a tomar posição sobre absolutamente tudo. É um pensamento que pode ser tão libertador como a respiração na meditação e dou exemplos: quando se noticia a horrível suspeita de que uma estrela do futebol violou uma menor, podemos não tecer considerações, podemos não saber, não desconfiar, não julgar, enfim, podemos lamentar o facto e esperar que se chegue à verdade e se faça justiça.

O mesmo quando um político resolve assumir a sua homossexualidade, podemos ouvir um pormenor sobre a sua vida íntima, que não o define, e que é legítimo que não o defina, e seguir as nossas vidas sem considerações sobre os mil e um porquês de o ter feito agora. E com isto não defendo uma espécie de alienação para encontrar a felicidade e ver vídeos de gatinhos no Youtube, é só uma atitude. É que ainda no outro dia, numa dessas conversas apaixonadas, alguém me disse: “É legítimo que as pessoas tenham uma opinião” e surpreendentemente dei por mim a questionar “É?” As opiniões são assim tão legítimas? Todas? Se o meu carro avariar tento encontrar um cirurgião, ou o escritor que adoro, ou um comentador político? Acho que não, acho que vou ao mecânico e espero que ele não me cobre muito. E nem me façam falar sobre as vacinas…

Deixe Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Carrinho
  • Ainda sem produtos no carrinho.

O nosso site utiliza cookies, portanto, coleta informações sobre a sua visita a fim de melhorar a qualidade dos nossos conteúdos para o site, redes sociais e aúncios. Consulte nossa página cookies para obter mais detalhes ou clique no botão 'Aceitar'.

Configurações de cookies

Abaixo, pode escolher os tipos de cookies que permite neste site. Clique no botão "Guardar configurações de cookie" para aplicar sua escolha.

FuncionalO nosso site usa cookies funcionais. Esses cookies são necessários para permitir que nosso site funcione.

AnalíticasO nosso site usa cookies analíticos para permitir a análise de nosso site e a otimização para efeitos de usabilidade.

Redes SociaisO nosso site coloca cookies de redes sociais para mostrar conteúdo de terceiros, como YouTube, Instagram, Twitter e Facebook. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

PublicidadeO nosso site coloca cookies de publicidade para mostrar anúncios de terceiros com base em seus interesses. Esses cookies podem rastrear seus dados pessoais.

OutrosO nosso site coloca cookies de terceiros de outros serviços de terceiros que não são analíticos, média social ou publicidade.

Clique aqui para ouvir o texto selecionado!